Curvas Glicêmicas em Cães e Gatos Diabéticos

As curvas glicêmicas são uma ferramenta valiosa na estabilização e monitoramento de animais diabéticos. Elas fornecem uma avaliação exata no que basear as mudanças na terapia com insulina e são fundamentais na investigação de diabético instável. Entre outras coisas elas ajudam a mostrar a eficácia da insulina e as concentrações máximas e mínimas de glicose no sangue e quando estas ocorrem. Elas são uma ferramenta ideal para diferenciar os problemas de curta duração de ação e o efeito Somogyi. Consulte Problemas.

Protocolo para produzir curvas seriadas de glicose

  • Hospitalizar o animal
  • Seguir o esquema normal do proprietário do animal de estimação. Isso inclui injeções de insulina, tamanho, tipo e horário das refeições e rotina de exercícios.
  • Coletar uma amostra de sangue antes da injeção de insulina.
  • Administrar a insulina
  • Coletar uma amostra de sangue a cada duas (a quatro) horas, se possível por 24 horas, mas, pelo menos, até a concentração ter novamente transposto acima do limiar renal. Pode ser necessário amostragem de sangue mais frequente se houver suspeita de efeito Somogyi e dificuldade de identificação. Ter cuidado para não coletar amostras de sangue demasiadamente grandes de cães e gatos pequenos. As concentrações de glicose sanguínea são medidas e assinaladas contra o tempo para produzir uma curva glicêmica.

Planilha para produzir uma curva glicêmica

A planilha abaixo permite que curvas de glicose (em mmol/L) sejam desenhadas e visualizadas facilmente. O gráfico está na segunda página da planilha e aparece como um diagrama de dispersão já que é então menos provável que o efeito Somogyi possa ser perdido. Há também uma tabela de conversão para mg/dL e g/L.

Planilha para curva seriada de glicose (mmol/L)

Interpretação das curvas glicêmicas

O objetivo do tratamento é aliviar os sinais clínicos do diabetes mellitus. Para alcançar isto, as concentrações de glicose sanguínea devem ser mantidas abaixo do limiar renal e a hipoglicemia deve ser evitada. Assim, a meta é manter as concentrações de glicose sanguínea aproximadamente entre:

5 e 10-12 mmol/L (90 e 180-216 mg/dL) em cães
5 e 14-16 mmol/L (90 e 252-288 mg/dL) em gatos

para a maioria dos intervalos entre as injeções de insulina.

A duração da ação da insulina é medida a partir do momento da injeção de insulina, seguido por uma queda na concentração de glicose sanguínea, até o momento que a glicose sanguínea excede o limiar renal.

A alteração ou flutuação na concentração de glicose sanguínea é a diferença entre a medição mais alta e mais baixa em qualquer período de 24 horas. Para o tratamento com Caninsulin®, uma vez ao dia, ser considerado eficaz em cães, a duração da ação da insulina precisa ser de pelo menos 20 horas.

Para o tratamento com Caninsulin®, duas vezes ao dia, ser considerado eficaz, a duração da ação da insulina deve ser por volta de 8-12 horas após cada injeção de insulina.

Exemplos de curvas glicêmicas

Monitoramento das Curvas Glicêmicas

Lembre-se que o estresse pode afetar a glicose sanguínea (as concentrações em casa provavelmente serão diferentes).