Castração de Cães Diabéticos

A produção de progesterona associada com estro ou prenhez tende a resultar em instabilidade do diabetes.

Em cães fêmeas adequadas para cirurgia, castração ou esterilização (i.e. Ovariohisterectomia ou ovarioectomia) deve ser realizada mais ou menos imediatamente (i.e. antes do tratamento com insulina) e a terapia com fluido intravenoso administrado no período perioperatório.

Se a condição do animal individual for crítica (desidratação, anorexia, uremia, hiperglicemia e glicosúria graves) e a cirurgia imediata for contraindicada, a terapia com fluido intravenoso e administração de insulina deve ser iniciada para estabilizar a condição. A ovariohisterectomia/ovarioectomia deve, então, ser realizada tão logo a cadela tenha melhorado o suficiente. No dia da cirurgia, será necessário jejum pré-operatório reduzindo a dose de insulina em cerca de 30%.

Após a cirurgia, o monitoramento regular das concentrações de glicose sanguínea é necessário até que a cadela esteja estável.

A resposta à insulina das células do tecido alvo frequentemente melhorarão após a esterilização de cães fêmeas, e consequentemente, a demanda de insulina diminuirá.

Esterilização de cães diabéticos

É recomendado que cães fêmeas não esterilizadas, diagnosticadas com diabetes, sejam esterilizadas cirurgicamente.